quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Além

Soubesse escrever, faria poesias
Soubesse cantar, entoaria uma cantiga
Fosse dançar, ciranda seria
No lirismo dos teus versos, arranquei bruta flor

Sou pássaro liberto, tateando estrelas
E há quem insista em catar as migalhas do chão
Por prudência ou medo de voar
Desse mal eu não morro, meu bem

Construo um foguete
Embrulho você pra presente
Te tiro pra dançar
E te mostro além

3 comentários:

Cá Cipullo disse...

NOSSA nega, A.D.O.R.E.I...muito bom!!!!

Tiago F. Moralles disse...

Como criança no balanço,
vou e não volto.

Macaco disse...

Muito bonitos os 2 Neguinha, parabens!