terça-feira, 1 de setembro de 2009

Correnteza

Meus olhos mansas águas
Hoje, brava cachoeira
Rio de forte correnteza
Mar revolto

Minhas mãos terra firme
Hoje, trêmulas
Suadas
Inseguras

O sorriso largo
ganhou gosto amargo
E o que era doce,
salgou o beijo.

2 comentários:

Macaco disse...

Que só o tempo volta a deixar doce...

Tiago F. Moralles disse...

"Clara e salgada
cabe num olho
e pesa uma tonelada."