quarta-feira, 6 de maio de 2009

Eu acredito em borboletas



Sem nenhuma graça,
a gorda lagarta,
passa o dia rastejando com dificuldade,
comendo folhas...

- Que tédio, pensa ela.

Não faz idéia
que o seu destino é voar por aí,
leve,
solta e colorida.

Mas eu acredito em borboletas.
(você me ensinou a acreditar)

Transformar-se,
deixar para trás velhos hábitos,
refletir dentro de um casulo por algum tempo
para que o ciclo da vida se cumpra.

É preciso esforço para rasgar o casulo.
E voar livre por aí...
Mas, uma vez borboleta,
não mais lagarta.

3 comentários:

Macaco disse...

E essa lagartinha é muito linda... imagina quando virar borboleta??
AMO!

N. Araujo disse...

Será que a borboleta lembra que já foi uma lagarta?
Será que a lagarta sabe que um dia vai voar?

Palavra Cantada

TECO SILVEIRA disse...

Legal é pensar na beleza de ser uma lagarta!

Bjos!