domingo, 24 de janeiro de 2010

Deselegante menina



A bailarina nunca antes ousara sair da caixinha de música

Ficava lá incansáveis horas, rodopiando suas já gastas sapatilhas

Ao som de uma interminável música clássica

Girando e girando sem sair do ritmo

Perfeita!

Até o dia que esqueceram de dar corda na caixinha...

A menina curiosa resolveu sair, pra dar só uma espiadinha!

E ao sair, descobriu um mundo lindo de imperfeições!

Quis perder a compostura, rasgar a partitura

No descompasso, desfez-se o laço

Cansou dos tons pastéis

Quis experimentar outros papéis

Pendurou as sapatilhas

Gastou todas as milhas

Rodopiou com outros pares

Conheceu muitos lugares

Mas procurando bem,

Há dores, que só a bailarina tem.

2 comentários:

Macaco disse...

POis é! Muito bonito balarina!

Cá Cipullo disse...

E dores que só a bailarina sabe curar, né amiga?
Lindo texto.
Orgulho.
Bjin*