domingo, 1 de agosto de 2010

Garimpo fino

A gente se gosta
A gente se toca, todo o tempo.
Mordidas, lambidas, beliscos
Ele não desgruda e eu...não me importo!

Rimos de nós mesmos,
Gargalhamos com o corpo inteiro.
Com olhos de deslumbramento,
Festejamos o acaso!

Com bocas e mãos inquietas, buscamos um ao outro / sem parar.
Matamos a saudade, a fome a sede.
À vontade.

Dançamos como se trilha sonora, houvesse:
Celebrando este garimpo fino.
Brincamos de ter: Um ao outro
E cuidamos de não nos perder.

Te escolhi como companhia: alegras meu dia!
E embora pela vida,
haja tanto desencontro...
Que bom que eu te encontrei!

3 comentários:

Fabio disse...

Dane, que lindo!
Rapha, orgulho doce, meu querido.
Beijo pros dois.

Macaco disse...

Um brinde à minha amada poetisa!

Tiago Moralles disse...

Belo encontro.