quinta-feira, 10 de junho de 2010

A matriarca.

O colo mais gostoso / As broncas mais temidas / As conversas madrugada a dentro / O sorriso mais bonito / O gosto pela vida / O cheiro do pó compacto / As unhas sempre feitas / O cabelo sempre impecável / Vaidosa / São Paulina / Mulher elástica / Antenada / Plugada / Alegria contagiante / Hiperativa.

Pimenta nos olhos dos outros / Felina, lambe a cria, mostra dentes e garras / Protetora / Maternal / Briguenta.

Os lápis apontados por ela / O penteado pro balé / A competição de espirro / As laranjas em gominho.

Os ensinamentos / A coragem / As férias, viagens e bagunças.

Encarou a vida de frente.
Filha, irmã, amiga, mulher, mãe, avó, professora, psicóloga e só sentimento.

Uma família inteira sem chão, sem ar.
Sem ela.

5 comentários:

fernanda de almeida prado disse...

Lindo demais minha filha tão querida! Que saudades que dá...Você conseguiu dizer de maneira poética o que todos nós estamos sentindo. Beijo da Mima

Julia Ianina disse...

e agora é viver com essas lembranças gostosas e com as saudades doloridas. uma pena, uma tristeza enorme e profunda. mas quando eu fecho os olhos, ainda é o sorriso dela que eu vejo, dizendo - continuem, a vida é boa!

Lu.GonzagA disse...

muito belo poema, com algo em suspenso e o desabafo sincero. Saudações pra Vó, saravá!

Tiago Moralles disse...

Um deus em forma de mulher.

Rodrigo Cunha disse...

Me fez lembrar da música do Chico, "Mulheres de Atenas". Adorei! Vou começar a acompanhar o que você escreve por aqui. Dá uma passadinha no meu espaço também, veja o que acha: www.devaneiosforadalei.com.br
Grande beijo!