quinta-feira, 25 de março de 2010

Precisa-se de colo e cafuné.

Estou sozinha como nunca estive, converso com amigos imaginários e conto meus segredos mais íntimos. Aquilo que ainda não havia contado nem a mim mesma, confesso entre meias palavras.
Desconfio que esse estado de loucura ainda é leve, nada grave. Vai passar. Assim como daqui alguns dias, semanas ou meses eu me sentirei menos só.
Eu preciso das pessoas e elas ainda não são queridas por mim, nem eu por elas.
Sou eu comigo mesma, enfrentando minhas ausências, saudades e vazios. Colorindo meus dias com pequenos prazeres, apostando no incerto e conhecendo minhas fraquezas.
Quem sou eu em um lugar sem referências?
O que esperar de mim?
Que lugares eu gosto de ir?
De que tipo de pessoas eu me aproximo?
Quem eu escolho como meus amigos?
Em quem confiar?
Como eu quero ser vista pelas pessoas?
O que eu to fazendo aqui, o que eu vim buscar?
Só sei que agora vou dormir, boa noite.

4 comentários:

Tiago Moralles disse...

Nada disso, carinho e cafuné antes de deitar.

Macaco disse...

É aí esse o caminho do encontro de você com você mesma!
É que o caminho dá medo mesmo, mas no final encontrará você de tesouro!

Lu.GonzagA disse...

sono de pedra, sonho de vento, sombra de árvore

Vanessa disse...

vc escreve lindamente,,,a poesia esta no sangue ne Dani....e´muito sentimento aflorando...beijo
Vanessa (prima)